Tamanho da letra A+ A-
 

VIVA UNIFSA: Egressa do UNIFSA realiza palestra sobre a experiência do trabalho voluntário

Na manhã desta quarta-feira (14), aconteceu a Acolhida de Alunos (VIVA UNIFSA), do curso de Enfermagem do Centro Universitário Santo Agostinho – UNIFSA, com a palestra sobre “Enfermagem na Assistência dos Refugiados da Síria”, ministrada pela nossa egressa do curso, Bárbara Caroline Cunha Bezerra. Graduada desde 2011 pela instituição, a ministrante é voluntária há mais sete anos de um programa desenvolvido por uma organização não governamental, intitulada de JOCUM. Durante este período de experiência, Bárbara trabalhou por cinco anos com populações indígenas que residem no Brasil, e nos últimos dois anos atuou no país do Líbano, trabalhando diretamente com cidadãos refugiados da Síria.



Bárbara explicou e abordou aos alunos veteranos presentes, a sua experiência durante todos esses anos de trabalho voluntário dentro e fora do país, trazendo relatos vividos desde o inicio da guerra civil, no qual a Síria vivencia há mais de oito anos. Abordando conceitos e demonstrando de forma cientifica o uso da Enfermagem durante todo esse período de trabalho humanitário.


A Enfermeira afirma que a vocação para o trabalho voluntário surgiu desde pequena, e que viu uma oportunidade quando iniciou o curso de enfermagem no UNIFSA. “Desde o inicio, meu objetivo era de entrar no curso de Enfermagem da Santo Agostinho para depois enfim me tornar uma voluntaria em projetos humanitários. Eu entrei no curso bem nova, com apenas 16 anos, e desde a minha infância eu sempre tive esse desejo de ajudar o próximo, e quando estava na graduação eu quase tive um problema de saúde muito sério, e desde então aumentou a minha vontade de realizar esse tipo de trabalho, pois eu vi que nossa vida é tão efêmera, então percebi que o melhor caminho é sempre ajudar as pessoas”, diz ela.



Bárbara afirma que sempre participou de projetos e eventos humanitários durante a sua graduação, exemplificando a sua participação em alguns antigos projetos criados por professores e coordenadores do curso de Enfermagem na época. “O professor Disraeli, foi uma boa influência para a minha entrada dentro desse programa, pois na graduação ele sempre realizava visitas ao abrigo São Lucas, Casas de Apoio, Lar de Idosos, participei inclusive do projeto PERES criado por ele, e acho muito incrível o projeto CANUDOS, mesmo que eu nunca tivesse a oportunidade de participar, eu ainda tenho muita admiração e tomo como referência”, afirma.



A Enfermeira ainda diz que após todo esse trajeto humanitário em sua vida, possui um desejo de voltar para área acadêmica e cursar uma Residência Multiprofissional em Enfermagem. “Desde que eu me formei, eu entrei nesse mundo de voluntariado, e não realizei nenhuma especialização ou pós-graduação, mas estou pensando em fazer próximo ano uma residência em obstetrícia em enfermagem e assim voltar para a área acadêmica que sempre gostei”, finaliza.


 
LEIA MAIS