Tamanho da letra A+ A-
 

PIBIC UNIFSA: Pesquisadores investigam folha de umbu no controle do colesterol

Com o intuito de investigar plantas que tivessem ação no controle do colesterol, uma dupla de pesquisadores do Centro Universitário Santo Agostinho formada pelo professor Drº Joubert Aires de Sousa e o egresso em Fisioterapia Ruy Gabriel Costa Sousa, fizeram um experimento para investigar se a folha da Spondias Tuberosa (conhecida popularmente como Umbu) tinha ação relevante na redução do nível de colesterol de ratos de laboratório.  De acordo com os pesquisadores, já existe na literatura alguns fatos relevantes, além do uso popular de partes da planta para tratamento de algumas doenças e a proposta da pesquisa era identificar se nas folhas também havia alguma substância. O trabalho foi intitulado “Estudo da possível atividade hipocolesterolêmica do extrato etanóico das folhas de Spondias Tuberosa (umbu) em ratos hipercolesterolêmicos” e faz parte do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica do UNIFSA (PIBIC).


Munidos de curiosidade, a dupla utilizou como base estudos já existentes com a planta e o uso empírico na farmacologia popular. “É interessante porque esse trabalho envolvendo o colesterol já existia envolvendo as cascas e alguns envolvendo os frutos, mas não tinha envolvendo as folhas. O interessante é que com o UMBU as folhas, nas cascas e raízes têm uma substância chamada Rutina, que a literatura já afirma que é uma substância que está envolvida com a redução do colesterol”, explicou o Ruy.


Com o desejo de identificar a ação das folhas a dupla realizou o experimento com os ratos de laboratório e durante 6 dias acompanharam os animais para poderem aplicar o extrato da planta e verificar se haveria a redução do colesterol. De acordo com o professor, foram avaliados o colesterol total e os triglicerídeos e apesar de não ter notado diferenças diante dos experimentos, a dupla pode constatar que a metodologia utilizada não é a mais eficiente para o que a pesquisa se propôs.


“Nós avaliamos duas coisas: o colesterol total e os triglicerídeos. Embora essa planta já tivesse uso popular para várias indicações, no estudo que fizemos não foi observado nenhum efeito nem no colesterol e nem no triglicerídeo da folha. Só que assim, geralmente na pesquisa é recomendado várias metodologias para investigar a mesma coisa e no nosso caso usamos apenas uma metodologia. Então, no final do trabalho embora não tenhamos encontrado os resultados esperados a gente sugere que seja utilizada outra metod


ologia e de preferência uma metodologia que usa uma substância chamada ‘Triton WR 1339’, que seria a ideal para se fazer uma confirmação desse teste e aí seria um outro PIBIC, que é bem mais complexo que esse primeiro”, explicou o professor.


Mesmo não alcançado o resultado desejado o aluno conta que a pesquisa tem muita importância, pois, como já dito anteriormente, a planta possui a substância rutina, que está presente na casca, raízes e folhas, e tem comprovação em outros estudos quanto a sua atuação na redução do colesterol. “Então é até um fato curioso que aconteceu e deveria reduzir mais do que as outras partes e foi ao contrário. Precisa de mais investigações e até com uma metodologia utilizando o triton seria mais viável”, disse.


A teoria e a prática foi um dos pontos mais importantes citados por Ruy, que na época de construção do trabalho de pesquisa, ainda era acadêmico da Fisioterapia. Ele conta que o estudo o ajudou na conquista de uma vaga no mestrado e muito do que praticou através do PIBIC Unifsa está sendo utilizado na sua pós-graduação, que também utiliza experimentos em animais. “Existe uma diferença entre saber algo na teoria e você saber algo na prática e aqui eu pude ter a prática envolvendo os procedimentos experimentais com os animais. São poucas as instituições que oferecem essa oportunidade de você ter a prática do ensino envolvendo animais. Então, isso foi importante para mim, pois quando cheguei no mestrado algumas práticas que eu observei com animais eu pude dizer que já tive a experiências por causa do PIBIC. Isso foi de grande importância”, disse Ruy.


O professor conta que a dedicação faz com que os alunos tenham uma visão bem diferente na área profissional e abre caminhos para que eles possam descobrir coisas novas para a área profissional. Além disso, dá a oportunidade de participar de eventos acadêmicos para troca de conhecimentos e disseminação da ciência.



 


 
LEIA MAIS